top of page

Quais são os componentes da infraestrutura de TI


A infraestrutura de TI é um componente crucial na era digital atual. Ela é o que possibilita a utilização de uma infinidade de softwares e suporta a agilidade necessária para a entrega de negócios. Entender a importância disso e gerenciar essa infraestrutura é fundamental para qualquer empresa na atualidade.

Ambientes de TI e Automação

Ao falar em infraestrutura de tecnologia da informação, é importante diferenciar os ambientes de TI e automação. Dentro das indústrias, a TI é responsável por gerir equipamentos que produzem e conectam outros equipamentos como caldeiras e fornos, enquanto a automação é responsável por controlar e otimizar esses processos. Para garantir a segurança, é essencial que esses ambientes sejam separados.

Conectividade

A conectividade é um dos serviços de TI mais cruciais da infraestrutura de TI e evoluiu consideravelmente ao longo do tempo. Houve um progresso notável desde a era dos computadores com conectividade de 1 mega até os dias atuais, onde temos acesso a redes de alta velocidade e qualidade. 

A aplicação disso em ambientes corporativos pode ser um desafio, principalmente no que se refere à cobertura de Wi-Fi. Para suportar uma grande densidade de usuários, é necessário um estudo detalhado, conhecido como site survey, onde os profissionais de TI avaliam a distribuição e necessidades de cada ambiente.

No entanto, nem toda a conectividade é igual. As frequências de 2.4 GHz e 5 GHz, por exemplo, têm características e aplicações distintas. Enquanto a frequência de 2.4 GHz é de longa distância, mas de baixa performance, a de 5 GHz oferece alta velocidade, porém em curto espaço. Saber como e quando utilizar cada uma pode ser a diferença entre uma experiência frustrante e uma conexão de alta velocidade.

Servidores

Ao contrário do computador residencial, que possui um pequeno HD e já supre as nossas necessidades, uma empresa necessita de uma estrutura muito maior, às vezes, mantendo uma sala cheia de computadores robustos, chamada de data center, com softwares específicos para conseguir atender a demanda necessária de dados e minimizar as falhas, já que ninguém quer correr o risco de perder todo o banco de dados da empresa no meio de uma pane. Nessa hora, a infraestrutura de TI é essencial para administrar esses servidores e definir o hardware mais adequado para a estrutura da empresa.

A infraestrutura de TI passou por uma evolução significativa ao longo das últimas décadas, e o papel dos data centers nessa transformação é fundamental. Anteriormente, os data centers eram imensos, necessitando de grandes espaços, enormes quantidades de energia e extensos sistemas de refrigeração. Hoje, graças aos avanços tecnológicos, especialmente no que se refere à miniaturização dos transistores e à virtualização, essa realidade mudou drasticamente. 

Um exemplo prático dessa mudança pode ser visto em projetos de virtualização, como o que foi implementado por André Rocha, Ciso na Braskem. Em um caso particular, ele participou de um projeto que envolveu a migração de cerca de 560 servidores, ocupando cerca de 20 racks, para um ambiente virtual. “Trabalhamos na virtualização desses servidores, desligando os físicos e concentrando-os em novos, chamados blades, que são muito menores e com maior capacidade de processamento e memória”, salienta Rocha.  

Esse avanço tecnológico também tem um impacto significativo no aspecto ambiental, contribuindo para a redução das emissões de carbono e alinhando a infraestrutura de TI com as diretrizes de ESG (Environmental, Social and Governance). A diminuição no tamanho e no consumo de energia dos data centers traduz-se em uma redução significativa nas emissões de carbono. “Graças à virtualização e ao desenvolvimento de melhor performance de processamento e redução de equipamentos, conseguimos economizar espaço e reduzir os custos com energia e refrigeração”, aponta André.  


A virtualização foi apenas o primeiro passo em uma série de desenvolvimentos que estão moldando a infraestrutura de TI contemporânea. A próxima etapa dessa evolução foi a migração para a nuvem. No início, a ideia predominante era a de uma única nuvem, onde toda a infraestrutura seria armazenada. No entanto, atualmente, as estratégias de cloud híbrida e multi-cloud são cada vez mais comuns. Estas permitem a distribuição de serviços por várias nuvens, inclusive mantendo alguns no data center próprio da empresa.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page